últimas resenhas

Personagem: Livro X Filme - 1ª edição


18 de jan de 2013

/

Essa seção realiza um comparativo entre a descrição de um personagem do livro e a incorporação do personagem no filme.
             
             Atire a primeira pedra quem, ao ver o elenco de uma adaptação literária, não franziu a boca ao constatar que o(s) ator(es) não te(^)m nada que remeta à descrição das personagens no livro. Não vou mentir, quando isso ocorre, a expectativa que eu tinha para com o filme cai em 50%, por isso que ultimamente eu prefiro assistir o filme antes e depois ler o livro,mas vamos ao que interessa.
                 A primeira personagem dessa seção é  Lisbeth Salander, da Trilogia Millenium, o primeiro livro, Os Homens que não amavam as mulheres, tem duas adaptações, uma sueca e uma americana. Vamos a descrição e depois as fotos e fatos:

     “ [...] jovem pálida, de uma magreza anoréxica, com cabelos quases raspados e piercing no nariz e nas sombrancelhas. Tinha uma tatuagem de uma vespa no pescoço e uma faixa tatuada ao redor dos bíceps do braço esquerdo. Nas poucas vezes que  Lisbeth usara uma regata, Armanskji constatara que ela também tinha uma tatuagem maior na omoplata, representando um dragão. Originalmente ruiva, tingira os cabelos de preto. Parecia estar sempre chegando de uma semana de farra na companhia de uma banda de heavy-metal.”( LARSSON, 2008, p.42)
Imagensretiradas dos sites: Imagem 1 Imagem 2 Imagem 3 Imagem 4
Imagens retiradas dos sites: Imagem 1 Imagem 2 Imagem 3 Imagem 4
           Bom, os dois filmes são fiéis a descrição do livro, mas, a versão americana consegue se sobressair. Os dois filmes são bons, mas eu, particularmente, prefiro o filme americano, motivos: a Lisbeth possui uma atitude mais badass, a fotografia do filme é impecável e (principalmente) o filme conquista pela abertura, sério, nunca vi créditos iniciais tão bom, empolgante. É isso ai... e vocês, o que acham?

 Referências:
LARSSON, Stieg. Os homens que não amavam as mulheres. 4ª ed. São Paulo: Companhia das letras, 2008.

comentários pelo facebook:

3 comentários:

  1. Nossa! Notável diferença entre as versões. Chega até ser hilária a incompatibilidade do livro com a versão sueca. Vou esperar mais postagens desse gênero. Achei interessante!

    ResponderExcluir
  2. Também prefiro a versão americana, não só pela fotografia, pela abertura e sonoplastia incrivel notável etc, mas também porque americanos são mais quentes que suecos!! Isso muda tudo, e em relação a atriz não poderiam ter feito melhor escolha, ela só perdeu o oscar porquê ninguém compete com Meryl Streep quando se fala de Oscar! Enfim é isso.Beijos adorei o blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas Rooney é muito nova, ainda vai ter muitas chances de ganhar o Oscar. E Meryl tava perfeita em a Dama de Ferro.
      Brigada Xia, vc é uma fofa!

      Excluir

Olá, sinta-se à vontade para comentar, sua opinião é muito importante.
Para comentar usando somente o nome e url basta selecionar a opção no menu suspenso "comentar como".
Volte sempre! ♥
(Os comentários são moderados apenas com a finalidade de evitar palavras de baixo calão e de cunho pejorativo)

 

Hiperatividade Literária © alguns direitos reservados - 2016 :: design e código gabi melo