últimas resenhas

Resenha: Memórias Póstumas de Brás Cubas


1 de fev de 2013

/

 

Título: Memórias Póstumas de Brás Cubas 
Autor: Machado de Assis 
Subtítulo: Clássicos Abril Coleções
Edição: 1
ISBN: 9788579710049
Editora: Abril
Ano: 2010
Páginas: 332
Avaliação: Muito Bom
É após a morte que Brás Cubas decide narrar suas memórias. Nesta condição, nada pode suavizar seu ponto de vista irônico e mordaz sobre uma sociedade em que as instituições se baseiam na hipocrisia. O casamento, o adultério, os comportamentos individuais e sociais não escapam à sua visão aguda e implacável, nesta obra fundamental de Machado de Assis.

          Creio que todos que completaram o ensino médio já ouviram falar desta obra, é um marco da literatura realista nacional e início da segunda fase machadiana ( saudades aulas de literatura). O livro é sobre a vida de Brás Cubas, um homem abastado, que post mortem resolve escrever suas memórias. ( fuga do realismo ou toque especial machadiano!?)

          Certo, a sinopse não é essas coisas, é ler sobre um homem cheio de caprichos que se passa lá pelos anos de 1880, então por que ler? Bom, Machado de Assis consegue realizar uma ótima caracterização daquela época, nos mostrando suas hipocrisias, apatia e retirando o ideal romântico da época. Outra razão é a técnica narrativa, Brás Cubas se mostra um narrador carismático, mas não no sentido usual... por meio de ironias, sarcasmos e uma acidez sem igual, nos mostra as negativas da sua vida, tendo um certo ar cômico. O livro é dividido em 160 capítulos curtos ( alguns super curtos ou simbólicos)
“ ... e este livro e meu estilo são como ébrios, guinam à direita e à esquerda, andam, andam e param, resmungam, urram, gargalham, ameaçam o céu, escorregam e caem..” ( ASSIS, 2010, p. 176)
            Adorei o livro, no começo estranhei a linguagem utilizada, mas, nada que um Aurélio e uns 25 capítulos lidos não resolvessem. Foi uma leitura divertida, sentia falta de entender sacadas/piadas em livro tão facilmente ( nem sempre isso ocorre nas obras traduzidas..fica aquele hãn!? ). Creio que o me levou tanto a demorar ler Machado de Assis foi a imagem formal, cult e linguagem formalíssima, sinônimo de parnasianismo que os livros de literatura pregam. Espero ler outros livros de Machado de Assis, assim como de outros autores nacionais.
Passagem que reflete bem a veia cômica da obra:
 “ – Meus filhos – disse ele – , lembrem-se que meu irmão deixou um pão bem grande para ser repartido por todos.
Mas Cotrim
– Creio, creio. A questão, porém, não é de pão, é de manteiga. Pão seco é que eu não engulo.” (ASSIS, op. cit,p.129)
ASSIS, Machado. Memórias Póstumas de Brás Cubas. São Paulo: Abril Coleções, 2010.

OBS: O livro está disponível para download no Domínio Público - link aqui



comentários pelo facebook:

7 comentários:

  1. Oi Juliana, tudo bem?

    também demorei muito tempo para começar a reconhecer o Machado de Assis como um autor "legal" de ser lido.

    No colégio comecei a ler Dom Casmurro 4 vezes e nunca consegui terminar, achava um saco.

    Quando, na quinta tentativa, depois de ter entrado na faculdade, consegui finalmente terminar de ler, achei o livro incrível.

    Penso que a obrigatoriedade de ler autores como Machado nas aulas do ensino fundamental e médio tornam eles meio caretas, chatos, e "cult". Seria muito interessante que os novos professores de literatura brasileira encontrassem uma forma mais interessante de nos apresentarem os grandes escritores brasileiros né?!

    Memórias Póstumas de Brás Cubas está na minha lista de leituras (bem)próximas. Desse ano não passa! Hehehe

    Beijinho.

    ps: adoreeei o título do blog.
    ps2: se quiser conhecer o meu, adorarei sua visita ;)

    www.gavetaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, essa obrigatoriedade só faz com que os alunos criem preconceito com a obra e pensem que é chata e com uma linguagem impossível.
      Obrigada pelo elogio :DD Demorei muito tempo para criar o blog porque não pensava em um nome bom.
      Claro que visitarei o seu blog :)

      Excluir
  2. Adorei a resenha, sou muito desatualizada quanto aos livros, mas deu vontade de ler esse heheueh
    Seguindo de volta (:

    Sweet Teen

    ResponderExcluir
  3. Nossa que legal seu blog! E o nome super criativo!!
    A dama das Camélias, nunca tinha ouvido falar, dei uma pesquisada, e é bem antigo né ?
    É tipo Jane Austen que é Atemporal assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aham, eu acho uma obra atemporal, foi um dos primeiros clássicos que eu li, ai gostei muito :D

      Excluir
  4. Eu gostei , mas não li a obra original tinha uma linguagem mais simples

    ResponderExcluir

Olá, sinta-se à vontade para comentar, sua opinião é muito importante.
Para comentar usando somente o nome e url basta selecionar a opção no menu suspenso "comentar como".
Volte sempre! ♥
(Os comentários são moderados apenas com a finalidade de evitar palavras de baixo calão e de cunho pejorativo)

 

Hiperatividade Literária © alguns direitos reservados - 2016 :: design e código gabi melo